O consumidor é o novo marketeer

Se um amigo seu lhe recomenda fortemente um novo produto que ele comprou, a sua reação é ter essa recomendação como válida e a ser seguida. Os marketeers devem usar esse fenômeno social já estabelecido como uma ferramenta de marketing da sua marca – uma poderosa ferramenta de marketing, por sinal. É comum as marcas darem total prioridade aos consumidores insatisfeitos, esquecendo os que recomendam e promovem a marca. As marcas devem utilizar e compartilhar experiências dos seus clientes como conteúdo. Deixe o seu público ser o editor dos seus canais de marketing.

Com o acesso a informação crescendo, o novo consumidor está muito mais antenado ao que acontece com as marcas e principalmente com as marcas que são do seu interesse, se você tem um produto no mercado, cuida da imagem da sua marca e mantenha-se próximo ao consumidor.

Algo primordial a ser fazer primeiramente é cuidar da cultura interna da sua empresa. Hoje em dia as pessoas estão preocupadas em consumir produtos e serviços de empresas que tenham valores e princípios bem definidos e praticados em sua cultura interna. Vemos recentemente o caso de uma empresa de automóveis conhecida mundialmente onde os dados sobre emissão de poluentes fora  adulterado, isso gerou uma crise interna e demissões e massa. Vimos casos de corrupção na FIFA, trabalho escravo da Nestlé na Tailândia e a acusação de trabalho escravo na M.Officer. Situações como estas afastam a admiração do consumidor pela empresa e por suas marcas atraindo sentimentos de rejeição como consequência.

Entenda que o consumidor é o novo promotor da sua empresa. Sabemos de certa forma que sempre foi assim, pois quando um produto era bom o boca à boca era a melhor ferramenta que existia. Porém o outro lado da moeda poderia ser muito mais dolorido, se o produto não atendia as expectativas ou cometia alguma falha em sua comunicação com consumidor os danos poderiam ser irrecuperáveis para a imagem da marca. O que realmente mudou foi o posicionamento do consumidor na máquina capitalista, hoje as empresas produzem o que o consumidor quer comprar e não ao contrário como era há algum tempo.

Então se a sua empresa já tem uma cultura interna e posicionamento sólidos e bem definidos ao ponto de seus colabores entenderem e promoverem sua marca, parabéns, você faz parte de um grupo seleto que começou acertando os primeiros passos para o crescimento. Mas se você ainda não tem uma cultura interna bem definida e praticada por seus colaboradores internos, está na hora de trabalhar a imagem da sua empresa e da sua marca dentro da sua própria empresa, garantimos que nunca é tarde para começar pois, se quem está todos os dias dentro da sua empresa não conhece o porque dela existir ou desconhece sua cultura interna, não serão os consumidores que saberão e, se eles não sabem também não serão promotores da sua marca.

Referência:

E.life Group – Tendências Digitais 2016


Categorias